29 de janeiro de 2020
(86) 99577-9242
portaldodelta.redacao@gmail.com
Logo do Portal do Delta
Publicidade

Postado por Delta em 29/jan/2020

Caminhão tomba na PI-247 ao desviar de buracos; produtores pedem melhorias

Um vídeo enviado à Coluna Economia & Negócios, do Cidadeverde.com, mostra uma realidade que já virou rotina para os produtores do cerrado piauiense. Um caminhão tombou ao desviar dos buracos da estrada. O motorista pulou do veículo antes do desastre e quebrou o braço.

O acidente aconteceu na PI-247, que liga a cidade de Bertolínia a Uruçuí, algumas das cidades de maior produção de grãos do estado. “O governo sempre promete que vai melhorar o trecho, fazer um tapa-buraco, mas nada é feito, e quando chove piora. Já perdemos a esperança”, afirma o diretor executivo da Aprosoja, Rafael Maschio.

Ele explica que neste mês de janeiro as chuvas estão acima do esperado na região, mas mesmo quando não chove, as estradas têm problemas. “Nossa rotina é fazer a reparação dessas estradas três vezes por ano, porque se não fazemos, não pode entrar insumo, não pode sair produção. A gente para a atividade do produtor para fazer vaquinha e mutirão e consertar a estrada por nós mesmos”, conta.

As estradas que os próprios produtores consertam três vezes ao ano são a PI-397 (Transcerrados) e a PI-392, que é a estrada Serra Grande. “Agora teremos que fazer isso até nos trechos que eram asfaltados da PI-247 porque a buraqueira está grande. Tem trecho que está licitado há sete anos e ainda não foi feito”, lamenta.

Custo do frete

O problema das estradas causa prejuízos de várias formas aos produtores. Agora, segundo o diretor executivo da Aprosoja, o preço do frete está ficando cada vez mais caro devido à falta de asfalto das pistas.

“Estamos a mil quilômetros do Porto de São Luís, no Maranhão. O custo normal do frete é R$ 220 por tonelada. Mas para chegar em algumas fazendas é preciso pegar 50, 100, 200 quilômetros de estrada de chão (carroçal) e, por causa disso, o caminhoneiro está cobrando muito mais caro, entre R$ 50 e R$ 150 a mais por tonelada, dependendo da distância. Isso quando tem quem queira vir porque é comum o caminhoneiro não aceitar, por medo de ficar atolado e passar uma semana lá”, conta Maschio.

DER

A Assessoria de Comunicação do Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER) informou que já existe previsão para obras de tapa-buraco na região. Veja nota na íntegra:

Sobre as reclamações dos trechos citados nos vídeos, a Gerência de Engenharia do Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER) volta a reforçar que o Governo do Estado tem se empenhando em trazer recursos num menor intervalo de tempo para iniciar a recuperação desses trechos que estão sob responsabilidade do órgão. Os técnicos esclarecem ainda que os buracos e desníveis vão surgindo por se tratar de uma estrada já bastante desgastada pelo tempo de sua implantação e com as chuvas a situação se agrava ainda mais. 

Na PI – 397, ao todo, são 117 km de responsabilidade do DER, e destes, já temos 100km asfaltado. A extensão total deste trecho corresponde a exatos 360 Km . Já na  PI – 392 (Baixa Grande do Ribeiro) que também pertence aos cuidados do DER, a diretoria informa que o governo estadual está  buscando recursos para que as obras sejam retomadas. No momento, novas empresas e novas licitações estão sendo reprogramadas para, muito em breve, estas estradas possam receber novamente maquinário e os serviços necessários.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!