23 de fevereiro de 2021
(86) 99577-9242
portaldodelta.redacao@gmail.com
Logo do Portal do Delta
Publicidade

Postado por Delta em 23/fev/2021

Mãe é indiciada como coautora de assassinato da advogada Izadora Mourão

A Polícia Civil concluiu nesta terça-feira (23) o inquérito que investiga a morte da advogada Izadora Mourão, assassinada a facadas dentro da própria residência no último dia 13 de fevereiro, no município de Pedro II.

De acordo com o coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Francisco Costa, o Baretta, foram indiciados pela autoria do crime o irmão da vítima, João Paulo Mourão, e a mãe, Maria Nerci. Os dois devem responder por homicídio triplamente qualificado.

A mãe de Izadora ainda deve responder pelos crimes de coação no curso no processo e fraude processual. Ela teria tentado intimidar testemunhas e alterado a cena do crime.

Ainda de acordo com a Polícia, as investigações apontaram Maria Nerci como coautora do crime, que teria sido premeditado com antecedência.

“Eles foram indiciados por homicídio triplamente qualificado, coação no curso do processo e fraude processual. A mãe na coautoria. Conseguimos provar que ela esta estava na cena do crime. Esse crime nós podemos dizer que, além de premeditado, foi devidamente planejado”, disse o delegado Baretta ao Cidadeverde.com

Ainda de acordo com o delegado, o inquérito será enviado ainda hoje para a justiça de Pedro II e caberá ao Ministério Público apresentar um eventual pedido de prisão contra a mãe de Izadora Mourão.

“Agora, estamos encaminhando ao juiz que deverá abrir vistas ao Ministério Público para a sua manifestação, que é o dono da ação penal”, destacou o delegado.

Relembre o caso

A advogada Izadora Mourão foi morta a facadas no dia 13 de fevereiro, em sua residência no município de Pedro II. O crime chocou o município, gerando grande repercussão.

Dois dias após o assassinato, o irmão da advogada, João Paulo Mourão, foi preso apontado como principal suspeito de ter cometido o crime

As investigações do caso foram conduzidas pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), através do delegado Danúbio Dias.

 

Natanael Souza
redacao@cidadeverde.com 

0 Comentários

Deixe o seu comentário!