1 de outubro de 2020
(86) 99577-9242
portaldodelta.redacao@gmail.com
Logo do Portal do Delta
Publicidade

Postado por Delta em 01/out/2020

Operação Topique: A reforma da casa da prima de Rejane Dias

Está com os dias contados o silêncio que precede a tempestade na residência oficial do governador do Piauí. Já está na mesa do juiz Agliberto Gomes Machado a denúncia contra o núcleo da gestão petista na Secretaria de Estado da Educação durante os anos em que o comando integral da pasta era da deputada federal Rejane Dias, esposa do governador Wellington Dias (PT).

Agliberto é o titular da 3ª Vara Federal e tem em suas mãos um arsenal de provas que implicam gente de confiança e até mesmo parentes de Rejane Dias no maior esquema de roubo de recursos públicos já revelado na história do Piauí. E o Política Dinâmica teve acesso à parte dessa denúncia e das provas apresentadas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal.

Decisão sobre denúncia da Operação Topique deve ser publicada nos próximos dias (foto: Roberta Aline | Cidadeverde.Com)Decisão sobre denúncia da Operação Topique deve ser publicada nos próximos dias (foto: Roberta Aline | Cidadeverde.Com)

Dezenas de documentos estão sendo checados e todos eles expõem detalhes que confirmariam as acusações de cumplicidade entre agentes públicos e privados no esquema. Começamos hoje o que será uma série de reportagens sobre os detalhes do esquema: presentes, viagens, mesadas e todo tipo de vantagem ilícita ofertadas de um lado como agradecimento às ilegalidades administrativas cometidas do outro.

A REFORMA

Um dos documentos que o Política Dinâmica já confirmou ser parte do material apresentado à Justiça Federal é uma planilha que registra cada detalhe de compras e pagamentos referentes à reforma da casa de Pauliana Ribeiro de Amorim, a prima mais famosa da deputada federal Rejane Dias.

Rejane e Pauliana: as primas mandavam juntas na SEDUC na época em que se instalou a organização criminosa que roubou recursos do transporte escolar

Rejane e Pauliana: as primas mandavam juntas na SEDUC na época em que se instalou a organização criminosa que roubou recursos do transporte escolar

O documento aponta que num intervalo de 5 meses durante o ano de 2017, uma obra inteira foi bancada com dinheiro das empresas que mantinham contratos suspeitos com a SEDUC. Essa planilha foi encontrada num dos computadores da LOCAR Transportes e aponta repasses e pagamentos realizados em espécie e em cartões de créditos ligados ao empresário petista Luiz Carlos Magno Silva.

Desde aquisição de material de piscina e passando pela compra de granito e vidros até o pagamento dos pedreiros, tudo foi anotado. Dinheiro que triangulou entre as contas do Governo Federal, Governo do Estado e das empresas do esquema criminoso até chegar na casa de Pauliana. Um agrado para quem era fundamental na manutenção dos contratos de transporte escolar e financiaram os interesses da ORCRIM.

COMISSIONADA E EMPREENDEDORA

No total a reforma custou R$ 152.374,61 (cento e cinquenta e dois mil e trezentos e setenta e quatro reais e sessenta e um centavos). Neste mesmo período, de fevereiro a julho de 2017, Pauliana Ribeiro, comissionada exclusiva da Seduc, recebeu exatos R$ 14.634,07 exercendo o cargo de assessora. É menos de 10% do que custou a obra.

As investigações não conseguiram encontrar justificativa legal para a milionária evolução patrimonial da prima de Rejane Dias, que nessa época, estava recebendo um salário médio de R$ 2.400,00 reais do Estado.(Marcos Melo)

0 Comentários

Deixe o seu comentário!