22 de maio de 2020
(86) 99577-9242
portaldodelta.redacao@gmail.com
Logo do Portal do Delta
Publicidade

Postado por Delta em 22/Maio/2020

Radialista de FM de Caxingó acusado de estelionato tem audiência marcada pela Justiça

O radialista Jean Carlos dos Santos Martins, vulgo “Gordinho ou Beleza”, da rádio Longá FM da cidade de Caxingó, ligada à família do prefeito do município Washington Luiz (PSD) terá audiência de oitiva e interrogatório na 1ª Vara Criminal de Parnaíba, onde é acusado do crime de estelionato e outros, no caso envolvendo idosos. Ele foi intimado pela juíza Maria do Perpétuo Socorro Ivani de Vasconcelos. A audiência está marcada para o dia 03 de junho de 2020 às 10h00. Testemunhas do caso também foram intimadas.

Jean Carlos (Gordinho ou Beleza) é um velho conhecido da Justiça por acusações em outros crimes e, inclusive com condenação enquadrada no Estatuto do Idoso.

Nesta ação, ele é novamente acusado de ter cometido crimes contra três idosos e ter contraído empréstimos de seus benefícios durante o ano de 2006 sem autorização dos mesmos.

O radialista da Longá FM, Jean Carlos Martins, vulgo “Gordinho ou Beleza”.A ACUSAÇÃO

Segundo denúncia apresentada pelo Ministério Público Estadual, no mês de fevereiro de 2006, Jean Carlos teria estado na casa da vítima, E. P. N. de 84 anos, induzindo-o e mantendo-o ao erro, mediante meio fraudulento, informou que conseguiria uma pensão para sua filha. Acreditando, a vítima entregou ao denunciado sua Carteira de Trabalho e Previdência Social, o CPF, bem como documentos de seu falecido marido, com intenção de receber a pensão para sua filha.

Ainda segundo o MP, de posse dos documentos, Jean Carlos levou a vítima até um Cartório, fazendo com que assinasse alguns papéis, e os foram assinado, pois pensava ser sobre a pensão prometida. Porém, dentre os documentos assinados, um deles era uma procuração que dava ao denunciado amplo e ilimitados poderes, para que junto ao INSS, onde a procuração fosse apresentada, para requerer e receber em nome da vítima a pensão deixada por seu falecido marido, dentre os amplos direitos procuratórios, também poderia fazer empréstimos.

A vítima ao receber sua aposentadoria mensal, observou que estavam descontando R$83,00 (oitenta e três reais), ao procurar o motivo do desconto, descobriu que o denunciado havia feito um empréstimo de R$ 1.400,90 (um mil quatrocentos reais e noventa centavos), em nome da vítima. Jean Carlos para se livrar de um processo fez um acordo com a vítima, mas não cumpriu.

Já no mês de abril de 2006, Jean Carlos voltou a aplicar seus golpes, segundo o MP, o “Gordinho ou Beleza” como é conhecido, foi até a casa M. M. S., desta vez, passando por funcionário do INSS, informando que conseguiria um reajuste no valor de R$200,00 (duzentos reais) na pensão da vítima. Para tanto, pediu o Cartão de Saque e sua senha, além da Carteira de Trabalho e Previdência Social, CPF e Carteira do Sindicato. Após dois dias, a vítima procurou o INSS, onde soube que Jean Carlos não fazia parte de seu quadro de funcionário. No mês de maio a vítima tomou conhecimento que o denunciado havia feito um empréstimo bancário em seu nome, sem sua autorização ou assinatura, no valor de R$703,20 (setecentos e três reais e vinte centavos).

Jean Carlos não parou segundo denúncia apresentada pelo MP, e no mês de maio de 2006, fez uma nova vítima, desta vez, ele foi até a casa de M. F. S. e mais uma vez se passou por funcionário do INSS, informando à vítima que lhe facilitaria um empréstimo pessoal, para ser descontado em folha de pagamento. Exigiu para tanto a Carteira de Trabalho e Previdência Social e o CPF, anotando os dados, e disse que seria para um recadastramento, pois caso não fosse feito, a vítima não receberia seu beneficio. No dia 07 de junho de 2006, ao procurar a agência bancária para receber sua aposentadoria, verificou um desconto de R$97,00 (noventa e sete reais) em seu benefício. Descobrindo que o denunciado havia feito um empréstimo de RS 2.000,00 (dois mil reais) em seu nome, mesmo não tendo a vítima lhe assinado nenhum documento.

Diante dos fatos narrados e das provas obtidas, o Ministério Público ofereceu denúncia contra Jean Carlos pelos crimes previsto no artigo 171 (estelionato) e art. 297 (falsificação de documentos) e 299 (falsidade ideológica) c/c art. 69 todos do Código Penal.

EM TEMPO

Jean Carlos dos Santos Martins, vulgo “Gordinho ou Beleza” já foi condenado/acusado em outros crimes que durante a semana estaremos trazendo a tona em novas reportagens. O radialista é conhecido no município de Caxingó por usar os microfones da rádio com autorização do prefeito para denegrir famílias e opositores do gestor caxingoense.

AGUARDE NOVAS MATÉRIAS SOBRE OS TEMAS CITADOS ACIMA!

Por: Frank Cardoso (Portal Boca do Povo)

0 Comentários

Deixe o seu comentário!